Margem de contribuição: entenda do conceito ao cálculo

Aprenda agora mesmo o que é a margem de contribuição e como fazer o cálculo desta margem sem cometer nenhum erro e sem ficar com nenhuma dúvida.

Margem de contribuição

Provavelmente você já ouviu falar sobre margem de contribuição e já deve ter se perguntado “o que é isso?”. Então, neste artigo vamos responder a essa pergunta e ainda ensinar a fazer o cálculo sem erros e de forma simples.

A margem de contribuição é o valor (a margem ou porcentagem) que, do faturamento da venda, corresponde às despesas da empresa, ou seja, a margem que exclui o lucro do cálculo.

Em outras palavras, podemos dizer que a margem de contribuição é quanto você tem de tirar do faturamento de cada venda para pagar suas despesas e custos.

O que é margem de contribuição?

O conceito básico para entender a margem de contribuição é compreender que o dinheiro que você recebe por uma venda não equivale a 100% de lucro, afinal nenhuma margem de lucro chega a esse montante. Ou seja, se você vende um produto ou serviço por R$ 300, o seu lucro não será de R$ 300.

A ideia da margem de contribuição, ou ganho bruto, é que cada produto ou serviço vendido contribui com algum valor para as despesas fixas de sua empresa, como, por exemplo, o imposto.

Em outras palavras, é o ganho bruto das vendas. Você pode se questionar: como cada produto/serviço contribui para as despesas fixas da minha empresa?

Se achar melhor, para facilitar mais um pouco, você ainda pode pensar na margem de contribuição por meio de uma fórmula bem simples:

Valor Total da Venda - Despesas Variáveis - Custo Variável = Margem de Contribuição

Nesse caso, lembre-se de calcular um excelente preço de venda, para você não ficar no prejuízo com tantos descontos. Veremos a importância desse valor mais para frente.

O que são despesas variáveis e custos variáveis?

Ebook conquistando a inadimplência zero

eBook enviado com sucesso!

Acesse seu e-mail para ler o eBook e fazer seus clientes pagarem em dia.

Para deixar o cálculo mais simples, é importante relembrar tudo que configura despesas e custos variáveis. Assim, você não deixará nada de fora.

Despesas variáveis

Nada mais é do que os valores que precisam ser pagos toda vez que uma venda é efetuada, são as taxas que estão embutidas na venda de um produto/serviço.

Ou seja, são os valores que só são pagos quando o produto ou serviço é vendido. Por exemplo: impostos, comissões de venda, fornecedor, bonificação, etc.

Custo variável

Diz respeito a tudo aquilo que a empresa precisa pagar para que possa adquirir o produto que deseja vender. É importante lembrar que no custo variável não deve ser incluído o salário dos funcionários.

Por exemplo, se uma loja for revender um item, primeiro ela precisa comprar. Ou, se for uma empresa de montagem ou fabricação, é preciso adquirir a matéria-prima. E se o assunto for a venda de serviços, qual o valor que empresa gasta para executar o serviço.

Com esses dois conceitos em mente, agora fica mais fácil de aprender a fazer o cálculo.

Como fazer o cálculo da margem de contribuição?

Só de pensar em cálculo a gente automaticamente já pensa que será complicado e faz várias vezes a mesma conta para se certificar de que está tudo certo, garantindo com que nenhum erro seja cometido.

É por isso que vamos ensinar para você uma forma muito prática para você calcular a margem de contribuição sem nenhum erro e dificuldade. Com as nossas dicas você vai ver como é simples.

Há duas formas de fazer essa conta, por meio do valor total e o valor unitário.

Cálculo da margem de contribuição total

Com este cálculo você obterá a margem total das suas vendas. Vamos pegar como exemplo uma empresa em que o valor total das vendas é de R$ 100 mil.

Essa empresa gasta R$ 40 mil de despesas variáveis e R$ 30 mil com matéria-prima (custo variável).

Sendo assim, utilizamos a fórmula que te mostramos mais cedo neste artigo:

Valor Total da Venda - Despesas Variáveis - Custo Variável = Margem de Contribuição
R$ 100.000 - R$ 40.000 - R$ 30.000 = R$ 30.000

Então, a margem de contribuição total é de R$ 30 mil. A partir deste resultado você pode dizer que 30% do preço de venda é destinado para despesas fixas e lucro.

Cálculo da margem de contribuição unitária

Este cálculo serve para descobrir a margem de contribuição específica de cada produto. Para isso, você precisa saber o preço de venda do produto, as despesas variáveis e custos variáveis somente do produto em questão.

A fórmula para esta conta é bem semelhante à anterior:

Preço de Venda - Despesas Variáveis - Custo Variável = Margem de Contribuição Unitária

Por exemplo, se um produto é vendido a R$ 200, possui despesas variáveis de R$ 100 e custo variável de R$ 50, subtraímos:

R$ 200 - R$ 100 - R$ 50 = R$ 50

Então podemos afirmar que a margem de contribuição deste produto é de R$ 50.

O que você deve se perguntar após descobrir a margem de contribuição, seja unitária ou total, é se esse valor está sendo o suficiente para pagar todas as contas e ainda gerar lucro.

Se o valor for suficiente para isso, o seu negócio é lucrativo. Caso contrário, você pode buscar soluções para aumentar a sua lucratividade. Uma ótima dica para fazer isso é por meio de uma gestão financeira eficiente.

Viu como aprender a calcular a margem de contribuição é muito importante e pode ser bem simples? Se tiver mais alguma dúvida sobre como tornar o seu investimento ainda mais próspero, sinta-se convidado a navegar por nosso blog.

O que você achou do post?

1 Resposta

Deixe seu comentário