Quanto e como cobrar por hora de trabalho?

Cobrar um preço justo pelo serviço prestado é um desafio para o freelancer e trabalhador autônomo. Confira o que levar em consideração na hora de cobrar por hora de trabalho.

Cobrar por hora trabalho

Saber o quanto cobrar por hora de trabalho é uma das maiores dificuldades dos profissionais que trabalham como freelancers ou autônomos. Isso parte do dilema sobre o valor do seu trabalho e a necessidade de buscar um preço justo que envolva todos os investimentos e gastos.

Preços muito acima da média podem realmente ser injustos, porém preços muito inferiores acabam sendo julgados como duvidosos.

Por isso, deve-se encontrar um meio termo que valorize o esforço de quem trabalha, cubra todos os gastos e possa ser um valor que o cliente entenda como razoável pelo trabalho que você desempenha.

Separamos algumas dicas do que deve ser levado em consideração na hora de criar um preço e como calculá-lo, gerando um valor que reconheça o histórico, carreira e esforço de quem presta os serviços.

Quanto cobrar por hora de trabalho

Ao precificar um serviço, você deve saber que ele será julgado por você mesmo e pelo outro. Com um preço muito abaixo da média do mercado, desconfia-se da credibilidade, da experiência, do material utilizado e dos resultados. Já quando é caro demais, podemos julgá-lo como supervalorizado, exagerado, acima da média.

Para precificar de forma adequada e justa, deve-se levar em consideração os dois tópicos a seguir:

Seu tempo de experiência na área

Quanto mais experiente você for, mais você poderá cobrar pelo seu trabalho. A classificação da experiência profissional de acordo com tempo que você atua na área geralmente é classificado como:

  • Junior: até 5 anos de mercado.
  • Pleno: entre 6 e 9 anos de mercado.
  • Sênior: a partir de 10 anos de mercado.
  • Master ou especialista: 15 anos ou mais.

Conforme o nível em que você se encaixa, procure no mercado quanto um profissional com a mesma experiência normalmente cobra pelo mesmo serviço.

O valor dos principais custos

Todos os materiais que são utilizados para prestar os serviços também devem ser incluídos na conta, sejam eles insumos de terceiros, ferramentas, matéria-prima, energia ou aluguel, ou seja, tudo aquilo que faz o seu negócio e o espaço em que ele existe funcionar.

Para ter um controle financeiro maior dessa parte, é importante possuir uma gestão de compras e guardar todas as notas para observar os preços de custo. Na lista, podemos colocar:

  • Contas de água, luz e telefone.
  • Internet Wi-Fi.
  • Material de escritório.
  • Aluguel de espaço, se for o caso.
  • Impostos como IPTU ou contribuição do Microempreendedor Individual (MEI).
  • Manutenção de ferramentas de trabalho.
  • Matéria-prima para execução do serviço ou produto.
  • Transporte para reuniões ou deslocamento caso o serviço seja a domicílio, etc.

Abaixo, explicamos como dividir tudo isso para o cálculo do preço da hora de trabalho. Fique atento!

Como calcular o preço por hora

Em primeiro lugar, observe o salário de um colaborador que trabalha formalmente em uma empresa e exerce a mesma função que você. Aqui, como exemplo, vamos supor o piso salarial de R$ 2.500.

Se você trabalhar 40 horas semanais, teremos 160 horas mensais. O primeiro valor da sua hora deve ser encontrado da seguinte forma:

R$ 2.500 / 160 = R$ 15,63 por hora

Agora, acrescente os custos fixos que já citamos no tópico acima, correspondentes a aluguel, luz, água, internet, entre outros. Aqui, vamos supor o gasto de R$ 2 mil em custos por mês.

Custos fixos: R$ 2.000 / 160 = 12,50

Pronto. Agora some o valor do seu trabalho + o custo para manter a sua empresa:

Valor da hora trabalhada: R$ 15,63
Custos fixos: R$ 12,50
Valor da hora de trabalho: R$ 15,63 + R$ 12,50 = R$ 28,13

Agora, se a prestação de um serviço durar 6 horas, basta calcular:

6h x R$ 28,13 = R$ 168,78

Ou seja, o valor que deve ser apresentado ao cliente referente às 6 horas de trabalho é de R$ 168,78.

Lembre-se que, ao fazer o orçamento, cada serviço e cada cliente possui suas particularidades.

O preço da hora de serviço deve funcionar como um valor médio, porém deve-se acrescentar porcentagens de acordo com o horário em que é chamado ou agendado o atendimento, a distância até o local de trabalho, a qualidade de produtos e materiais que o cliente exige, entre outros detalhes.

O que você achou do post?

0 Respostas

Deixe seu comentário