Como fazer sangria de caixa?

Está com dificuldades para entender como funciona a sangria de caixa? Vamos te ajudar a compreender tudo que precisa neste artigo.

Como fazer sangria de caixa

Se você realiza constantemente sangria de caixa, isso deve significar que você está faturando bem. Afinal de contas, a sangria é uma retirada de valores que vão entrando, com o objetivo de protegê-los de perdas e furtos.

Além de manter o caixa sempre organizado, com a quantidade de troco separada para rodar o dia de vendas.

Nesse artigo, a gente explica detalhadamente como fazer essa operação e até mesmo quando e se é necessário fazê-la.

É que no momento de fechar o caixa, é importante lembrar dessas retiradas, sabendo exatamente aonde somá-las.

O que é sangria de caixa?

É a retirada de dinheiro do caixa quando não era previsto, quando não estava programado, ou seja, procedimento que está diretamente ligado ao fechamento do caixa.

O fechamento acontece para contabilizar o fluxo de caixa, quanto está entrando e saindo, para registrar o lucro e prejuízo, certo? Por isso, quanto mais demorar para fechar o caixa, mais difícil será identificar discrepâncias nos valores.

Sendo, portanto, indicado que essa contabilidade seja feita a cada troca de funcionário e a cada fim de expediente, tirando tudo que entrou e deixando apenas o suficiente para o troco do dia.

Como fazer a sangria de caixa?

O mais comum é que todo o dinheiro seja retirado e contabilizado apenas após o caixa ser encerrado. Entretanto, em alguns casos é necessário retirar antes, e a isso chamamos de sangria, como você já sabe.

Toda vez em que essa operação for realizada, será preciso registrá-la: tanto a operação em si quanto o valor que está sendo retirado, pois isso ajuda a eliminar os erros na hora de contabilizar tudo.

Para isso, você pode contar com registros eletrônicos ou mesmo manuais.

Agora que você já entendeu o que é a sangria e como fazê-la, veja quando ela é necessária.

Quando é necessário fazer sangria de caixa?

A retirada não programada pode ocorrer por diversos motivos e gera muitos benefícios. Hoje em dia, é recorrente o uso de cartões de débito e crédito para efetuar um pagamento. Mas ainda é comum e muitas pessoas optam pelo dinheiro na hora de pagar.

Isso pode gerar um grande acúmulo de dinheiro, tornando necessário o “alívio de caixa”, ou seja, essa retirada antes do fechamento do seu estabelecimento.

Sempre que isso ocorrer é preciso que o dinheiro seja levado para um local seguro e a pessoa responsável pela retirada deve se lembrar de fazer o registro do valor e colocar o seu nome, responsabilizando-se.

Tudo isso para constar a retirada no momento do fechamento do caixa e, se houver alguma informação que não bate, deixar tudo mais fácil para identificar de onde veio o erro.

Lembre-se de que os valores das sangrias devem ser considerados como entradas, no momento do fechamento do caixa. É comum que a pessoa que fecha o caixa esqueça de considerar as sangrias feitas ao longo do dia, o que pode assustar, uma vez que vai indicar que há dinheiro faltando.

Portanto, os benefícios da sangria de caixa são justamente evitar erros na contabilidade e gerar mais segurança, tanto para a empresa, quanto para o funcionário, pois com menos cédulas no caixa, menores as chances de furtos e erros.

O blog da Cobre Fácil está cheio de informações importantes para manter a saúde do seu negócio em dia e, se você precisa de ajuda com a gestão de recebimentos e demais assuntos financeiros, é nosso convidado para estudar tudo que temos por lá.

O que você achou do post?

1 Resposta

Deixe seu comentário