Como fazer análise de risco de crédito

Cansado de arriscar a saúde financeira da sua empresa fornecendo crédito a terceiros? A Cobre Fácil separou algumas estratégias de análise de risco de crédito para evitar inadimplências no seu negócio.

Análise risco crédito

A análise de risco de crédito é um método eficaz na hora de avaliar possíveis inadimplências por parte de potenciais clientes. Através de uma base de dados, a sua empresa pode identificar como determinado cliente lida com seu crédito, prevendo eventuais negócios arriscados.

Mas como identificar um cliente devedor antes de fechar contratos e qual a importância disso para o meu negócio? Para não arriscar, a Cobre Fácil elaborou esse artigo com tudo que você precisa aprender sobre análise de risco de crédito e conseguir uma excelente gestão financeira empresarial.

Como é feita a análise de risco de crédito?

Geralmente, esse tipo de análise é feita por empresas que possuem acesso a banco de dados. Um dos mais populares, por exemplo, é o SERASA Score, que disponibiliza às empresas a pontuação dos consumidores no sistema de crédito do País.

Se o consumidor possui histórico de não pagar a fatura do cartão, por exemplo, quais as chances de a sua empresa ficar no prejuízo ao fechar contratos com essa pessoa física? Tudo isso é possível checar pelo SERASA.

No entanto, ainda é possível fazer a conferência manual através dos documentos do consumidor, de referências e histórico de compra em empresas do ramo. Mas há empresas que oferecem o serviço de análise de risco de crédito de forma mais rápida e informatizada.

Como funciona a gestão e análise de risco de crédito?

Já imaginou que você talvez possa prever riscos de inadimplência por parte do seu cliente? E você pode, já que através da gestão e análise de risco de crédito você controla para quem concede o crédito, como escolhe as pessoas a quem você concede esse crédito e também monitora as condições desse cliente de pagar a dívida ou não.

Isso é uma questão essencial para as empresas que possuem um sistema de crediário próprio.

A gestão de risco de crédito é responsável por:

  • classificar os perfis de clientes: analisar se determinadas solicitações de crédito são seguras;
  • definir limites de crédito: até quanto sua empresa pode dar de crédito sem ter prejuízo?; e
  • atualizar esses limites: tanto para mais, quanto para menos, afinal, é normal que as finanças oscilem.

A tecnologia cumpre um papel muito importante aqui. É através de bancos de dados e softwares de gestão que os processos de gestão e análise de risco são consultados.

Imagine que você tenha que consultar o perfil de cada cliente de maneira manual? O processo seria bem mais demorado e a liberação de crédito demoraria muito mais também.

Importância da análise de risco de crédito para empresas

Prever futuras inadimplências é o que garante ao seu negócio uma maior fluidez e assertividade na hora de controlar funções como o fluxo de caixa, permitindo que você sempre saiba quanto terá de contas a receber e a pagar.

Correr riscos pode ser muito perigoso para a saúde financeira da sua empresa, por isso a importância da análise de risco de crédito para empresas: ela permite que você evite entrar em roubadas e acabar concedendo crédito a clientes que não podem pagar por ele, evitando ter que negativá-los no futuro.

Se você não quer arriscar e procura um método eficaz de controlar o crédito cedido pela sua empresa, seguir algumas estratégias de gestão de risco de crédito pode ajudar. Assim, você pode analisar o perfil do seu cliente e tomar as melhores decisões sempre.

Estratégias de gestão e análise de risco de crédito

Existem algumas estratégias para acertar no seu planejamento nesse momento, para que você tenha mais segurança na hora de fechar um negócio e consiga proteger sua empresa de futuros clientes inadimplentes.

A Cobre Fácil separou três delas para você:

1.  Os 5 C’s do crédito

Basicamente, elencam-se cinco conceitos para se analisar os riscos no momento de fechar um contrato de crédito. São eles:

  • Caráter: no primeiro tópico, analisam-se as possíveis dívidas passadas do cliente, seu comportamento no mercado e seu histórico financeiro.
  • Capacidade: o cliente em potencial é capaz de pagar a dívida que vai assumir?
  • Capital: é a análise do inventário do cliente e seu patrimônio líquido.
  • Colateral: qual garantia seu cliente pode oferecer em troca do crédito? Pode-se incluir aqui os imóveis, ativos, patrimônio em geral.
  • Condições: quais as condições financeiras atuais? O patrimônio do cliente tende a se desenvolver ou entrar em declínio?

Todas essas etapas, caso seguidas à risca, podem ajudar a estabelecer a análise de risco de crédito de seus clientes. Afinal, firmar um negócio com risco de crédito alto pode oferecer muito mais riscos do que garantias à sua empresa.

2.  Automatize os processos

Muito da gestão de risco de crédito das empresas ainda são feitas de forma manual, o que gera atrasos na hora de criar formulários ou dar uma resposta definitiva aos seus clientes.

Mas como automatizar esses processos?

Contratar um software de análise de crédito pode ser uma solução prática. Esse tipo de ferramenta ajuda muito na hora de conferir informações como o histórico do cliente no mercado.

Afinal, os dados são padronizados e pertencem a um banco de dados que faz com que seja possível cruzar dados e informações de diferentes instituições financeiras rapidamente, tarefa que levaria muito tempo se feita manualmente.

3.  Estabeleça uma cultura de gestão de crédito

Uma equipe integrada e comunicativa é a chave do sucesso nestas questões de gestão e análise de risco de crédito. Para isso, que tal investir na capacitação de todos os setores da empresa para reconhecer os riscos na hora da análise de risco de crédito?

Quando todos os funcionários possuem conhecimento na área, as chances de aprovar um contrato de crédito de risco são bem menores, além de tornar o fluxo de caixa mais previsível e reduzir as chances de inadimplência já no primeiro contato com o cliente.

Isso torna possível traçar um perfil de primeiro momento e evitar oferecer crédito para clientes que não apresentem liquidez para quitar a dívida no futuro.

Seguir esses passos já vai garantir à sua empresa mais estabilidade na hora de conceder - ou não - crédito aos clientes. A saúde financeira do seu negócio agradece, assim como os seus clientes, que certamente terão mais segurança na hora de contar com você.

O que você achou do post?

0 Respostas

Deixe seu comentário