Como fazer cobrança de prestação de serviço: do preço à inadimplência

Como calcular O preço de um serviço? Qual melhor método e como fazer a cobrança da prestação de serviço? Preparamos um artigo completo para organizar sua cobrança em serviços.

Cobrança prestação de serviço

Diferente de estimar o valor de um produto, que é tangível e tem seus custos muito bem definidos (de compra, impostos, importação, manufatura, logística, etc), a prestação de serviços transita em uma área cinzenta da composição de preço.

E se, para compor o preço já é difícil, imagina fazer a cobrança da prestação de serviço. Nessa zona cinzenta existem várias armadilhas para o empreendedor, que podem ser evitadas com um bom planejamento, contratos e, às vezes, a ajuda de um sistema de apoio para cobrança de contratos de prestação de serviços.

Mesmo que você já esteja trabalhando como prestador de serviços, esse artigo vem para ajudar a organizar a sua estrutura de cobrança em etapas:
• Como calcular o preço de um serviço?
• Modalidades de cobrança para prestadores de serviço
• A importância de um contrato na prestação de serviço
• Como cobrar um cliente inadimplente?

Como calcular o preço de um serviço?

É muito comum os empresários calcularem seus custos e colocarem uma margem de lucro em cima para remunerar o seu serviço.

Embora não seja uma forma errada administrativamente de fazer o cálculo, o preço estipulado não vai refletir o potencial de mercado que você pode alcançar, o valor da solução que você entregará para o seu cliente.

Na avaliação do preço, é preciso computar também quanto você quer ganhar pela sua prestação. É muito comum empresários não cobrarem o valor que acreditam valer o seu serviço por vários motivos, assim como almejarem uma remuneração muito mais alta que a praticada pelo mercado.

E os dois lados têm algo a perder: no primeiro caso, você pode perder clientes, pois um serviço muito barato levanta suspeitas sobre sua entrega e qualidade; no segundo, é preciso saber se existe mercado disposto a pagar esse valor.

Por isso, faça uma análise de mercado e pesquise o valor médio que vem sendo praticado no seu ramo de atuação. Esse deverá ser o melhor balizador de preço para a sua estratégia de cobrança de prestação de serviços.

Depois, verifique se o valor será adequado para atender a sua necessidade de pró-labore. Lembre-se de que um autônomo pode ficar um mês ou outro sem a agenda cheia, mas as contas não vão parar de chegar nesses meses. Neste cenário, é importante que você adicione um fundo de reserva ao seu cálculo de remuneração.

Uma vez estabelecido no mercado e prestando um serviço de alta qualidade, você começará a ser reconhecido e valorizado por isso. Nesse momento, então, você poderá adicionar ao seu cálculo de cobrança um coeficiente de expertise e confiabilidade na solução que você entrega para o problema do cliente.

A dica de ouro aqui é a definição de preço: aquilo que se paga pelo valor que é percebido. Portanto, ao longo da sua jornada, vá adicionando valor à apresentação do seu serviço.

Invista, por exemplo, na sua marca, em um bom cartão de visitas, em materiais de apresentação, site com depoimento dos seus clientes e tudo aquilo que for tangível para mostrar aos seus futuros clientes o valor do seu serviço.

Modalidades de cobrança de prestação de serviço

Um valor extra para a sua prestação de serviços é facilitar as formas de pagamento para o seu cliente. Existem várias formas que você pode adotar, no entanto, algumas podem ser mais adequadas para uma ou outra modalidade de prestação de serviços. Vamos a elas:

1.  Serviço pontual para pagamento à vista

Entre os meios mais comuns nesta modalidade estão o pagamento em dinheiro, em cheque ou por transferência bancária.

Nos dois primeiros casos, dependendo do valor do serviço, pode ser inviável (e mesmo não seguro) tanto para você quanto para o seu cliente portarem esse valor.

Já a transferência bancária pode ser uma boa opção, desde que você e seu cliente tenham conta no mesmo banco, ou deverão arcar com as taxas de TED e DOC entre bancos.

Outra opção é a emissão de boleto. Assim seu cliente tem a liberdade de pagar a partir de qualquer banco e mesmo pela internet, e você receberá o valor seguramente na sua conta.

2.  Serviço pontual de alto valor para pagamento parcelado

Digamos que na negociação do serviço seu cliente solicitou que o pagamento fosse parcelado. Nesse cenário, a melhor opção é a emissão de boletos para cada parcela na forma de carnê.

Assim, no momento da contratação, seu cliente já terá todos os boletos com seus devidos prazos de pagamentos. No entanto, será necessário que você tenha controle das datas de vencimento para cobrar seu cliente de cada parcela, pois corre o risco de ele esquecer.

3.  Serviço contínuo para pagamento recorrente

Da mesma forma, a cobrança de uma prestação de serviço contínuo, como por exemplo, personal trainer, professor de idiomas e consultor de contabilidade, pode se beneficiar do pagamento por boleto, ainda que todos os meses você precisará dedicar algumas horas da sua semana para emitir os boletos do mês.

Além disso, o prestador de serviço contínuo precisa estar sempre atento aos valores recebidos, para dar baixa corretamente em cada cliente e fazer o fechamento da sua gestão financeira mês a mês.

Sistema de gestão de pagamentos automatizado

Para qualquer das três modalidades de pagamento, você pode contar com um sistema de pagamentos online, como o da Cobre Fácil. Ele é uma plataforma única para emissão dos boletos registrados, sejam de parcela única, todas as parcelas de um carnê ou mensalidades de um contrato.

Junto com a emissão super facilitada dos boletos, oferece ainda todo um sistema de gestão financeira muito simples e intuitivo que automatiza a gestão de cobrança ao cliente da sua empresa.

Sem burocracias e nem taxas extras, você consegue emitir os boletos, ver os status de pagamento por boleto e por cliente, ter a conciliação bancária automatizada e também contar com uma régua de cobrança automatizada que não deixa seu cliente esquecer de pagar suas parcelas e/ou mensalidades dentro do vencimento.

Contrato: segurança para o prestador e para o cliente

Não existe uma maneira 100% segura de se precaver contra o famoso calote. Seja por causa do momento econômico, por falta de fluxo de caixa ou porque o contratante foi mal intencionado, a melhor maneira de se resguardar para garantir o pagamento pelo serviço prestado é fazer um contrato.

Um contrato é o instrumento que garantirá o direito de ambas as partes, seja da entrega para o contratante ou do pagamento dele para o contratado.

Existem vários modelos prontos e simples na internet, caso você não tenha como redigir. Atente-se a revisá-lo e fazer com que todas as etapas e/ou entregas do seu serviço estejam claras para ambas as partes.

Além disso, conforme aconteçam as entregas e pagamentos, faça o registro. Se não for possível emitir uma NF, emita um recibo. Pode ser um recibo simples, impresso do computador ou feito a mão mesmo, o importante é que ele deve ser assinado por ambas as partes para que tenha valor jurídico.

Cliente inadimplente: como fazer a cobrança de contratos de prestação de serviços

Outra vantagem de trabalhar com contratos de prestação de serviço são os prazos de pagamentos claros e registrados. A partir do momento que todos os prazos de pagamentos do contrato entre você e seu cliente estão vencidos, é hora de considerar medidas de cobrança mais enérgicas.

Você pode iniciar fazendo cobrança pelo telefone. Mas atenção na abordagem ao cliente: existem formas corretas, inclusive legalmente falando, para fazer isso. Caso prefira, você pode optar por uma empresa de cobrança para realizar esse trabalho.

Se ainda assim não foi possível resolver a inadimplência, você pode emitir uma notificação extrajudicial de cobrança da prestação de serviço. Esta é uma ferramenta para solucionar um conflito de forma ainda amigável, mas mais séria, antes de acionar a justiça.

A vantagem é que se o cliente tomar as providências imediatamente, pode-se evitar um processo judicial. Caso não, a notificação poderá ser apresentada como prova de tentativa de resolução do conflito, de forma amigável, da sua parte.

Novamente, existem diversos modelos de texto para uma notificação extrajudicial que você pode usar da internet, no entanto, para que tenha valor legal, ela deve ser enviada pelo cartório de registro de títulos e documentos mais próximo da sua empresa.

De toda forma, se precisar chegar às vias de fato de uma ação de cobrança, opte por ter o auxílio de profissionais especializados no assunto, como o de uma empresa de cobrança.

O que você achou do post?

0 Respostas

Deixe seu comentário