Concorrência monopolística: tudo o que você precisa saber

Veja exemplos de concorrência monopolística e os principais aspectos que fazem parte desse tipo de competição entre empresas. Saiba a diferença entre monopólios e oligopólios no mercado atual e descubra a importância de conhecer esses detalhes.

Concorrência monopolística

Se você é empreendedor e quer conquistar cada vez mais clientes para o seu negócio, precisa entender de concorrência monopolística ou competição monopolista.

Ela acontece quando determinada empresa vende no mercado produtos ou serviços semelhantes - mas não iguais! - aos de outras organizações do mesmo setor e se destaca pela qualidade e/ou excelência.

A competição monopolista é um dos diversos tipos de concorrências imperfeitas, assim como monopólios bilaterais, monopsônios, oligopólios e oligopsônios. Todos se opõem às chamadas “concorrências perfeitas”: quando há muita oferta e muita procura ao mesmo tempo de determinado produto ou serviço.

Entenda em qual formato de competição a sua empresa se encaixa e aprenda a lidar com isso. Saiba mais a seguir!

O que é concorrência monopolista?

Na concorrência ou competição monopolista, uma empresa vende determinado serviço ou produto com características exclusivas ou atendimento diferenciado. Isso faz com que os consumidores não consigam encontrar nada igual em nenhum outro lugar.

Quem compra pode até localizar itens ou atividades semelhantes em outras organizações e experimentar substituir os outros por eles, mas nunca conseguirá um substituto perfeito.

Principais características do monopólio

  • Pequenas, médias e grandes empresas podem estar envolvidas. Quando competem entre si, pequenas empresas podem se sair bem no monopólio, mas competindo com empresas de maior porte correm riscos e às vezes não conseguem se manter na disputa.
  • Todas as organizações têm independência para tomar decisões em relação ao valor do produto ou serviço que oferecem.
  • Elas precisam estar preparadas para a chegada de novas empresas que façam parte da mesma “competição”.
  • O que diferencia uma instituição da outra na concorrência monopolista é a qualidade do atendimento, a experiência vivida pelo consumidor e a qualidade do próprio produto/serviço.
  • Existe extrema necessidade de investimentos em propaganda e marketing.

Os investimentos mencionados anteriormente acontecem em prol do fortalecimento da marca, da busca por melhor definição do público-alvo e criação de uma cartela de clientes, bem como do objetivo pela adequação às novas necessidades e interesses de consumo.

Ebook conquistando a inadimplência zero

eBook enviado com sucesso!

Acesse seu e-mail para ler o eBook e fazer seus clientes pagarem em dia.

Exemplos de concorrência monopolista

Organizações envolvidas em uma concorrência monopolista conseguem vender mais dos seus produtos ou serviços mesmo se cobram preços mais altos por eles. Isso acontece justamente porque o item ou a atividade têm melhor qualidade e outras características atrativas aos consumidores, além de geralmente serem personalizados.

Produtos ou serviços vistos no mercado como superiores quando comparados aos seus concorrentes ajudam inclusive a conseguir fidelização dos clientes e saem sempre ganhando nessa competição, independentemente do custo mais alto.

Veja exemplos de concorrência monopolística:

  • no setor de calçados, as Havaianas.
  • em tecnologia, o Google ou a Apple.
  • na indústria alimentícia, a Sadia.
  • fast-foods, como o McDonalds.

Consegue pensar em mais nomes? 

Além da concorrência monopolista, outros formatos de monopólios surgem nas seguintes situações: quando o governo regulamenta determinadas empresas para executar determinada atividade, com a criação de lobbies, se alguma organização detém exclusividade sobre os insumos que utiliza como matéria-prima ou quando ocorrem registros de patentes.

Lembre-se de não confundir monopólio com os oligopólios.

Diferença entre oligopólio e concorrência monopolística

As diferenças entre oligopólios e monopólios começam na etimologia de ambas as palavras: mono e oligoi são derivados do grego e querem dizer, respectivamente, “um/único” e “poucos”.

Enquanto monopólios são situações nas quais apenas uma empresa se destaca como “vendedora”, oligopólios incluem outras organizações. Mais especificamente: um grupo de instituições que dominam a maior parte do mercado.

Esse grupo empresarial se torna o principal fornecedor de determinado serviço ou produto e passa a comandar o mercado, construindo, inclusive, barreiras para evitar competições.

Mas, afinal, o que é mais vantajoso um oligopólio ou a concorrência monopolista? Essa resposta depende de uma série de fatores e encontrá-la cabe a cada empreendedor.

Conhecer os prós e os contras da concorrência monopolista pode te ajudar na busca por informações e por responder essa pergunta.

Vantagens e desvantagens da concorrência monopolística

Para o consumidor, a principal desvantagem desse formato de competição está na precificação e, portanto, no valor dos produtos. Empresas que têm destaque podem (e devem!) cobrar mais por um item ou serviço semelhante ao de outras organizações, mas cuja qualidade é melhor. Quem quiser que pague por ele.

Para as empresas, uma das principais desvantagens da concorrência monopolista é precisar, o tempo todo, “correr atrás” de mais qualidade no atendimento e/ou nos próprios produtos ou atividades. Tudo para estar o mais perto possível de quem detém posição de destaque no setor.

Investimentos nesse sentido também podem não ser vantajosos, principalmente quando as organizações não conseguem o retorno esperado.

Por outro lado, trabalhar pela evolução, acompanhar as mudanças de comportamentos dos consumidores, automatizar e lidar com a transformação digital podem ser pontos positivos para organizações que souberem fazer bom uso de todo o ensinamento.

Outro benefício daquelas que acertam nos investimentos acaba sendo conhecer melhor o público-alvo e conseguir atingi-lo com mais precisão. Além de descobrir segredos da concorrência e poder desenvolver novas ações e estratégias, pautando-se tanto no que fazer parecido quanto no que não fazer de jeito nenhum.

O que você achou do post?

0 Respostas

Deixe seu comentário