Qual a melhor forma de gerar Boletos de cobrança?

Cobrar os seus clientes por meio de boleto bancário pode ser uma ótima forma de trazer credibilidade para o seu negócio. No entanto, é importante emiti-lo com segurança para evitar perdas.

Gerar boleto de cobrança

O boleto bancário pode ser uma forma de cobrança eficiente e prática, já que não há tantas exigências para os clientes, como criar uma conta bancária ou emitir um cartão de crédito.

Além disso, é um documento que, quando elaborado do jeito certo, permite o protesto da dívida em caso de não pagamentos, evitando perdas.

Se você quer saber, em detalhes, como gerar boleto corretamente e garantir maior comprometimento dos clientes com os pagamentos, basta seguir a leitura!

Neste artigo você vai entender:
• O que é um Boleto
• Como funciona o Boleto
• O que fazer se o cliente não pagar o Boleto
• Gerar Boleto: Qual a melhor forma
• Gerar Boleto sem pagar taxa na emissão

O que é um Boleto

Antes de tudo, é importante que você entenda melhor o que é um boleto. Afinal, ele é um documento? Pode ser protestado? Só é possível ser gerado em banco? Tem como gerar boleto de cobrança grátis?

Vamos entender melhor essas e outras questões.

O boleto é um instrumento de pagamento (ou uma forma de cobrança por transação bancária) que pode ser emitido diretamente pelo banco ou por um sistema de gestão financeira.

As duas formas são seguras, e, em alguns sistemas, é possível gerar boletos sem pagar nada por ele, na hora da emissão. Porém, é preciso muito cuidado na escolha de um sistema ou banco, para emitir um boleto registrado e seguro e não pagar taxas abusivas.

Quais os campos do Boleto

Os principais campos de um boleto são:

  • os dados (CNPJ e Razão Social ou CPF e nome) do cedente, ou seja, quem emite a cobrança;
  • os dados (CPF e nome ou CNPJ e Razão Social) do sacado, ou seja, o cliente;
  • endereço completo do cliente, lembrando que é obrigatório ter CEP;
  • data da emissão do boleto;
  • data limite de pagamento;
  • código de barras para pagamento automático;
  • linha digitável (campo com os números remetentes ao código de barras).

Como funciona o Boleto

O boleto é emitido por quem está efetuando a cobrança, com os valores e datas combinados com o cliente, no momento do negócio, e será entregue a quem deve pagá-lo.

O cliente, ou quem for pagar o boleto, deve efetuar o pagamento até a data limite apresentada no documento. Depois disso, o banco deve aprovar o pagamento, o que pode levar até 1 dia útil.

Se o cliente não pagar o Boleto?

O boleto é uma forma de pagamento segura, contudo um cliente pode ficar inadimplente. Nessas horas, é importante saber que você, dono de um negócio ou responsável pelo financeiro da empresa, pode optar por um protesto da dívida.

O boleto é um instrumento de pagamento que não exige nota fiscal ou qualquer outro documento para que o cliente possa quitar a dívida.

Entretanto, se houver necessidade de protesto, por inadimplência, você precisará de um documento que comprove a venda, pois o boleto sozinho não é capaz de prová-la.

O documento mais comum nas empresas é a nota fiscal. Ela comprova a venda e valida a dívida do boleto. Em caso de não uso da nota fiscal, pode-se emitir um contrato de prestação de serviço, por exemplo.

Mas, vale frisar que é sempre necessário ter um documento, seja um ou outro. Isto porque, gerar um boleto no nome de alguém, como você acompanhará neste texto, é fácil, basta ter os dados da pessoa.

Como não há necessidade da permissão do cliente, precisa-se de uma comprovação do negócio efetuado e da razão da cobrança, para não haver fraudes. Desse modo, quando há uma nota fiscal ou um documento que justifique a dívida, o boleto pode ser gerado com segurança.

E, caso haja a necessidade de uma cobrança extrajudicial, é possível emitir uma duplicata da dívida, de acordo com o boleto e com a nota fiscal ou um comprovante de venda ou prestação de serviço. Você também pode protestar a dívida, de acordo com o contrato de venda e nota fiscal.

Gerar Boleto: qual a melhor forma

Existem duas principais formas de emitir boletos: diretamente com um banco ou com um sistema de cobrança e pagamentos.

Se for emitir o boleto por meio de uma instituição bancária, você ou a sua empresa precisarão ter uma conta no banco, um convênio e uma carteira de cobrança que podem ou não estar inclusos nas contas de pessoa jurídica, dependendo do seu contrato.

A emissão do boleto, via banco, precisa ser feita manualmente, e todos os campos devem ser preenchidos corretamente. Em casos de mensalidades ou pagamentos recorrentes, é necessário gerar um novo boleto a cada mês.

As taxas variam de banco para banco e, por isso, vale a pena pesquisar bem antes de virar cliente de um deles. Mas, normalmente, é cobrada uma taxa na hora da emissão do boleto, que será descontada da sua conta, e outras taxas em caso de emissão de segunda via, cancelamento do boleto ou para manutenção de títulos vencidos.

A outra opção e, por sinal, até mais vantajosa de emissão de boletos, é um sistema de gestão financeira, que pode ser contratado com taxas menores, sem a necessidade de abrir uma conta bancária e com possibilidade de isenção de algumas taxas.

A qualidade do serviço depende de sistema para sistema, então é preciso ficar atento.

Gerar Boleto sem pagar taxa na emissão

Gerar boleto sem taxa de emissão

Com o sistema de cobrança e pagamentos da Cobre Fácil, você pode gerar boletos registrados e seguros, sem possuir uma conta bancária e sem pagar taxa de emissão.

A taxa só é descontada no momento em que o boleto é pago, e, caso o cliente não efetue o pagamento, você não precisará pagar a taxa.

Outras taxas como segunda via de boleto, cancelamento ou manutenção de títulos vencidos também não são cobradas. Além disso, a Cobre Fácil envia alertas de cobrança ao cliente e conta com a praticidade de gerar mensalidades e pagamentos recorrentes, automaticamente.

Outro ponto positivo está relacionado à taxa zero de emissão, que só é descontada caso o cliente efetue o pagamento: ela possui um valor justo e acessível, por boleto. Sem mensalidades ou taxas extras.

Agora que você já sabe como gerar boletos da forma mais correta e econômica, não perca tempo, comece agora mesmo.

O que você achou do post?

1 Resposta

Deixe seu comentário