PIX para quem não tem PIX: como fazer

O novo sistema do Banco Central chegou para revolucionar as transferências e, através dele, é possível transferir dinheiro até mesmo para quem ainda não é adepto do novo recurso. Confira agora como fazer PIX para quem não tem PIX em poucos passos.

Pix para quem nao tem pix

Você sabia que é possível transferir PIX para quem não tem chave PIX? É isso mesmo, as chaves não são obrigatórias e você consegue transferir ou receber dinheiro mesmo sem ter chaves cadastradas no PIX. Para fazer a transferência, basta informar o número e tipo da conta do remetente, como era feito antes do sistema.

É claro que, com uma chave, as transações são muito mais rápidas e práticas, mas isso não quer dizer que, se você não cadastrar uma, não terá acesso ao serviço. O único pré-requisito para fazer as transferências é que o banco que você utiliza ofereça os serviços PIX.

No entanto, a gente sabe que o sistema é novo e muita gente tem dúvidas sobre ele. Por isso, este artigo explica tudo o que você precisa saber sobre fazer um PIX para quem não tem PIX.

Como usar o PIX

Para utilizar essa nova tecnologia do PIX, basta acessar o aplicativo do seu banco no celular e selecionar a área PIX. Por lá, você consegue fazer pagamentos por QR Code ou inserindo manualmente as informações do destinatário. Além disso, você pode cadastrar suas próprias chaves por lá.

Já são mais de 71 milhões de chaves PIX cadastradas ao redor do país desde que o sistema foi implementado no dia 3 de novembro de 2020. Todas as instituições com mais de 500 mil clientes devem oferecer a nova funcionalidade, mas os clientes não precisam, necessariamente, cadastrar as chaves para aproveitar o sistema.

No entanto, as chaves são códigos que facilitam as transações. Quando alguém precisa fazer uma transferência para pagar você, é só enviar uma das suas chaves cadastradas ao invés das suas informações pessoais, número da conta, agência e banco, como era feito antes do PIX.

Isso porque cada chave é única, mesmo que você cadastre a mesma para dois bancos diferentes. Quando isso acontece, a pessoa que utilizar a sua chave verá uma lista de opções com os bancos em que você registrou a chave em questão e pode optar em transferir para um ou para outro.

Por isso, caso você tenha a mesma chave cadastrada para mais de um banco, é interessante avisar ao remetente qual o banco de destino para o valor.

Você pode cadastrar suas chaves com base em:

  • seu CPF ou CNPJ;
  • seu e-mail;
  • seu número de telefone; ou
  • chave aleatória de letras e números gerada pelo próprio sistema.

Lembrando que é possível cadastrar mais de uma chave em cada banco. Além disso, quando você registra informações como CPF, CNPJ, e-mail e número de telefone, elas podem ser também utilizadas em outros bancos, mas a chave aleatória nunca será repetida.

Ebook conquistando a inadimplência zero

eBook enviado com sucesso!

Acesse seu e-mail para ler o eBook e fazer seus clientes pagarem em dia.

Como fazer transferência para quem não tem chave PIX

A tecnologia é um sistema de transferências criado pelo Banco Central, que tem como objetivo desburocratizar e tornar as transações financeiras entre bancos algo mais instantâneo.

Por esse motivo, você consegue até mesmo fazer transferências para quem não tem uma chave PIX ou receber dinheiro se você não cadastrou as suas ainda. O procedimento também é simples e rápido para quem não tem as chaves e pode ser feito através do aplicativo da instituição financeira, desde que ela esteja apta a utilizar o sistema.

Para começar, apresentaremos duas formas de fazer transferência para quem não tem uma chave. O processo é tão simples que você nem vai precisar de um papel e uma caneta para anotar.

Vamos lá!

Para transferir sem chaves PIX

Se você, que é o remetente do valor, não tem chaves cadastradas, você precisará acessar a seção de transferências do aplicativo da sua instituição bancária e fazer o seguinte:

  1. Escolher entre enviar um Documento de Ordem de Crédito (DOC) ou uma Transferência Eletrônica Disponível (TED).
  2. Inserir os dados do destinatário, inclusive a chave PIX, caso ele tenha.
  3. Pronto: a transação é feita normalmente e de forma instantânea!

O mesmo acontece caso você precise receber pagamentos pelo PIX e o remetente não tenha PIX. Basta seguir as mesmas instruções e a pessoa que fará a transferência poderá, inclusive, utilizar suas chaves para acelerar a transação.

Caso nenhuma das partes envolvidas possua PIX, as transferências só poderão ser feitas por meio de TEDs ou DOCs, mas lembre-se que essas modalidades costumam cobrar algumas taxas para realizar a operação e possuem horários limite de funcionamento, ao contrário do PIX, e você pode correr o risco de perder algum prazo de pagamento importante.

E se eu tiver uma chave PIX e o destinatário não?

Se você precisa transferir por meio da tecnologia e a outra pessoa não tiver as chaves, saiba que também é possível. Nesse caso, você deve utilizar o aplicativo do seu banco e acessar a área PIX e escolher a opção “Transferir”.

Em seguida:

  1. Insira o CPF ou CNPJ do beneficiário.
  2. Adicione informações do destinatário como instituição bancária de destino, agência e número da conta.
  3. Tudo certo: o valor deve estar disponível na conta do beneficiário em alguns segundos!

O PIX é seguro?

Sim! Graças aos recursos de segurança dos próprios aplicativos dos bancos, como a senha e biometria exigida por alguns e às várias camadas de autenticação e criptografia do sistema, os usuários podem ficar tranquilos em relação às transações realizadas pelo novo recurso.

No entanto, isso não quer dizer que os usuários não devam ficar atentos na hora de realizar transferências. É muito importante conferir todas as informações do destinatário antes de completar a transação.

Verifique se o nome do beneficiário está correto, assim como o banco de destino. Muitos golpistas ainda usam a transferência bancária como meio para aplicar fraudes.

Um golpe muito comum acontece quando os números de telefone são clonados e os estelionatários utilizam aplicativos de mensagem para pedir dinheiro emprestado em nome de quem teve o número clonado, passando-se pela pessoa e alegando que devolverão a quantia no dia seguinte.

No entanto, os dados para PIX não são em nome de um conhecido, mas sim no nome do golpista. Conferir as informações do beneficiário é uma forma de garantir que você não caia em fraudes. Caso os dados não sejam compatíveis com a informação do destinatário, desconfie.

De qualquer forma, com ou sem a chave, é possível utilizar a nova ferramenta, que promete facilitar a vida de muita gente, principalmente porque o recurso permite até mesmo que o usuário pague seus boletos pelo PIX a qualquer hora do dia, bem como as transferências para outras pessoas, que podem ser feitas instantaneamente a partir de agora.

O que você achou do post?

0 Respostas

Deixe seu comentário