Por que o boleto sem registro não é seguro?

O boleto bancário é a segunda opção de pagamento mais utilizada pelos brasileiros. Se os seus clientes também preferem esse tipo de cobrança, veja importantes dicas de segurança.

Boleto não registrado dicas

No Brasil, o pagamento por meio de boleto bancário só perde para o cartão de crédito. O documento é muito utilizado devido à sua praticidade e, também, por ser um meio seguro, tanto para quem paga quanto para quem recebe.

Se você é um dos usuários desse título de cobrança justamente porque essa é uma forma segura, é importante entender tudo sobre a emissão de boleto, principalmente o sem registro, pois ainda há fraudes envolvendo essa forma de pagamento.

Em seguida, você entenderá:
• O que é um Boleto não registrado
• Por que o Boleto sem registro não é seguro
• O Boleto Registrado é totalmente seguro?
• Três dicas essenciais de segurança

O que é um boleto não registrado?

O boleto é um documento de pagamento ou, também chamado, título de cobrança, gerado por uma instituição financeira, que deve ser registrado. Contudo, como o documento já teve a possibilidade de ser sem registro, é comum que se fale nesse modelo, mas ele não é seguro.

Resumidamente, o cedente (pessoa que está efetuando a cobrança) gera o documento e o sacado efetua o pagamento. Para que essa transação seja segura, é necessário que o banco tenha acesso aos dados pessoais de cada envolvido, cedente e sacado.

Isso é o que chamamos de boleto registrado, o título de cobrança que leva os dados pessoais (CPF, CNPJ, nome, razão social e etc) de quem cobra e de quem paga. Quando não há esses dados, chama-se boleto sem registro.

E podemos dizer que essa é a principal diferença entre um boleto registrado e um não registrado. Contudo, há outras como o valor cobrado pelo banco e os riscos de segurança. Acompanhe a leitura.

Por que o boleto sem registro não é seguro?

Por não trazer os dados pessoais dos envolvidos na transação, o boleto não registrado é um documento fácil de ser fraudado. Hackers podem alterar os dados digitáveis do documento e fazer com que a quantia seja transferida para a conta dele, por exemplo.

Quando os dados dos usuários não estão registrados na plataforma centralizadora de recebíveis do CIP (Câmara Interbancária de Pagamentos), esse tipo de fraude torna-se fácil. Por essa razão, recentemente a Febraban (Federação Brasileira de Bancos) proibiu o uso do documento sem o devido registro.

Pois, apesar de ser menos seguro, esse era o modelo preferido pelos usuários, devido a sua praticidade e, também, por ser mais barato, já que ficava livre das taxas bancárias.

O Boleto Registrado é totalmente seguro?

Essa é sim uma das formas de pagamento mais seguras, mas ainda exige atenção. Entretanto, basta tomar alguns cuidados essenciais e você, provavelmente, não terá nenhum problema. Veja a seguir, as nossas dicas de segurança.

3 principais dicas de segurança ao utilizar Boleto

Dicas de segurança boleto

1.  Utilize apenas boletos registrados

Você já deve ter notado, ao longo dessa leitura, que deixar de registrar um boleto não é seguro. De qualquer forma, não é mais permitido por lei utilizá-lo. Então, a única escolha segura é o boleto registrado.

Para isso, você deve informar os dados pessoais de quem está cobrando e quem está pagando a dívida, para que o documento fique registrado.

2.  Confira os dados

Os dados cadastrais seus e do seu cliente são fundamentais, por isso, devem ser bem conferidos. Além disso, oriente os seus cliente que, antes de efetuar o pagamento, confiram os dados também. Principalmente o valor que estão pagando e para quem irá o dinheiro.

Um boleto registrado deve conter: CPF ou CNPJ, nome completo ou razão social, CEP e endereço completo do cedente e do sacado. Além do valor e das datas de emissão e vencimento.

3.  Cuidado com o sistema utilizado

Sabe-se que, ao emitir um boleto registrado diretamente com um banco, torna-se mais caro do que era o sem registro. Isso porque o banco cobra algumas taxas no boleto com registro.

Esses gastos variam, além da taxa de emissão, em taxas de alteração de dados, manutenção de títulos atrasados, cancelamento de boleto e etc. E isso pode sair um pouco caro.

Dessa forma, torna-se mais vantajoso gerar boleto registrado com um sistema de cobrança, já que alguns não cobram nenhuma taxa. Porém, é necessário observar se esse sistema é seguro e se, realmente, é mais econômico.

Com o sistema da Cobre Fácil, você tem boleto registrado, opções de carnês e mensalidades, tudo sem taxa de emissão ou taxas adicionais, além disso, consegue emitir boleto de forma simples e rápida. Assim, fica fácil economizar e ainda ganhar tempo no trabalho diário.

Se você ficar atento a essas dicas, poderá gerar boleto bancário para os seus clientes, sem medo, com praticidade e economia!

O que você achou do post?

0 Respostas

Deixe seu comentário