Como fazer um plano de crescimento empresarial?

Quer que a sua empresa venda e lucre mais? Confira o guia completo sobre o assunto que criamos para você e desenvolva um plano de crescimento empresarial baseado em métricas adequadas e em metas realistas!

Crescimento empresarial

O que você pensa quando alguém fala sobre crescimento empresarial? Saiba que ele representa muito mais do que “apenas” ter lucro. Com certeza, o crescimento empresarial envolve dinheiro em caixa, mas também inclui, entre outras coisas, a conquista de novos clientes e fidelização dos que já foram conquistados, o bem-estar dos colaboradores, preocupação com a comunidade e a natureza, além do constante desenvolvimento de uma boa imagem e reputação da marca.

Organizações que planejam crescer ou expandir são capazes de trabalhar a sustentabilidade nas frentes governamental, socioambiental e econômica.

Tome como exemplo a Apple, a Coca-Cola e a Disney: pode parecer clichê mencioná-las, mas é importante avaliar seu desenvolvimento até o momento presente e pesquisar sobre mudanças que elas têm feito em suas iniciativas, missões, visões e valores para conseguirem se manter atualizadas e continuar crescendo adaptadas às novas exigências do mercado.

Grandes lições podem ser extraídas de avaliações como essas, mesmo para empresas de menor porte. Quer evoluir? Então continue com a gente e aprenda a enxergar o seu negócio além do financeiro.

O que é um plano de crescimento empresarial?

Trata-se de um conjunto de estratégias para melhor gestão de um negócio que são voltadas para uma evolução saudável da empresa.

A elaboração desse plano pode variar de acordo com as tipologias de estratégias de crescimento (de inovação, de internacionalização, de expansão, de manutenção ou de investimento) e costumam envolver:

  • o aumento de vendas de produtos ou serviços já inseridos no mercado;
  • o desenvolvimento de novos produtos ou oferta de novos serviços;
  • a procura por novos mercados; e
  • diversificação.

Todos os planos de crescimento envolvem expansão?

Não necessariamente. Algumas tipologias têm relação apenas com manutenção do funcionamento da empresa ou com investimentos, conforme mencionado anteriormente.

No entanto, para quem almeja a expansão dos negócios, vale lembrar que os objetivos podem incluir abertura de novas unidades, criação de franquias ou simplesmente abertura de novos canais de venda quando economicamente viável e desejado pelo gestor.

O que enquadrar em qualquer conjunto de estratégias nesse sentido?

Paralelamente ao que está mencionado acima, invista também em inovação e transformação digital, além de mudanças na cultura organizacional se houver necessidade.

Iniciativas em prol da comunidade e do meio-ambiente também são um bônus muito bem-vindo!

Quais empresas devem fazer um plano de crescimento e por quê?

Organizações que podem (e devem!) desenvolver estratégias de crescimento são aquelas que dão lucro aos seus gestores e têm dinheiro em caixa que pode ser direcionado para mudanças e atualizações.

Além disso:

  • já alcançaram estabilidade e/ou geram lucro;
  • têm monitorado bons resultados e possuem previsões positivas para o futuro;
  • precisam desenvolver um melhor acompanhamento de indicadores mais específicos.

Ao definir seus planos de crescimento, essas empresas serão capazes de estabelecer novas metas e objetivos e de reorganizar o cotidiano de colaboradores e equipes para facilitar e desburocratizar processos. Desse momento em diante, as vantagens serão inúmeras.

Pronto para começar?

Ebook conquistando a inadimplência zero

eBook enviado com sucesso!

Acesse seu e-mail para ler o eBook e fazer seus clientes pagarem em dia.

Como elaborar um plano de crescimento em 7 passos

As dicas a seguir são válidas tanto para gestores que querem elaborar um plano de crescimento sem necessariamente abrir novas unidades ou franquear suas marcas quanto para gestores que planejam colocar em prática um novo plano de expansão.

Qualquer estratégia de crescimento empresarial começa pelos resultados obtidos até o momento atual do negócio.

1.  Faça uma análise detalhada de resultados

Um bom plano começa a partir da verificação dos resultados mais recentes da empresa: de quantas e quais metas foram atingidas em determinado período, quantas vendas ou negociações foram canceladas e por quais razões, quantas foram concluídas com sucesso e qual o valor que entrou em caixa por cada uma delas.

Fique sabendo: quanto melhor e mais efetivo for seu controle de fluxo de caixa, mais fácil fica a avaliação dos resultados anteriores e mais eficiente será a implementação do plano de crescimento no presente e no futuro.

2.  Estude as informações analisadas

Obtenha uma visão holística do que já está bom e do que pode ser melhorado na empresa através da ponderação de todas as forças, fraquezas, ameaças e oportunidades usando a matriz SWOT ou FOFA e distribuindo e analisando fatores internos e controláveis, assim como os externos e incontroláveis, em quatro quadrantes:

  1. Pontos fortes (forças): recursos, competências, diferenciais.
  2. Oportunidades.
  3. Pontos fracos (fraquezas): limitações e aspectos que reduzem produtividade, qualidade, possibilidades de crescimento.
  4. Ameaças à conclusão de objetivos e/ou incertezas.

Sua distribuição em matriz para a análise ficará da seguinte maneira:

Swot ou fofa

Todos os aspectos serão inseridos no gráfico depois de uma reunião de apresentação de ideias, sugestões e comentários com toda a equipe ou com os responsáveis pela gestão de cada time.

A matriz distribuída de forma visível permitirá que esse brainstorm se torne mais palpável e que os responsáveis por tomar decisões tenham uma visão holística de tudo o que está acontecendo.

Finalmente, a partir do que foi colocado no gráfico, esses tomadores de decisão avaliarão a viabilidade de um ou mais projetos de transformação e mudanças e aí sim transformarão cada aspecto em uma estratégia concreta.

Esse é apenas mais um passo de todo o caminho rumo ao crescimento. Continue o trajeto para colher os frutos!

3.  Aprofunde-se sobre o público-alvo e busque diferenciais 

Certifique-se de que você realmente tem conhecimento de quem é seu público-alvo e de como funciona o mercado no qual a empresa está inserida; encontre diferenciais, conheça a concorrência e verifique se os acordos firmados entre a sua empresa e os fornecedores são tão benéficos para uma parte quanto para a outra, repensando aqueles que não forem satisfatórios para o seu negócio.

4.  Defina os objetivos

Faça uma lista de objetivos que você pretende ter a curto, médio e longo prazo, sempre com base nos passos caminhados até aqui, relacionados à análise de resultados, público-alvo, concorrência e fornecedores.

Experimente transformar objetivos em enunciados para deixá-los mais claros e para que todos possam compreendê-los melhor. Por exemplo: aumentar o lucro em 5% ou abrir uma nova unidade.

5.  Trace metas e crie um plano de ação

A partir dos objetivos previstos, trace novas metas sempre alcançáveis e mensuráveis, defina um período para atingi-las e crie um projeto de iniciativas que serão tomadas para a empresa chegar onde deseja.

Lembre-se que o seu planejamento tático deve envolver não apenas ganhar dinheiro, mas garantir o bem-estar dos colaboradores e priorizar a máxima satisfação e a melhor experiência dos consumidores.

Para criá-lo, considere:

  • Quais problemas precisam ser solucionados a partir das iniciativas?
  • Por que realizar cada uma delas?
  • Onde as ações vão ocorrer (área ou setor)?
  • Quando elas devem acontecer e ser concluídas?
  • Quem se responsabilizará por cumprir as metas?
  • Quais ferramentas e recursos serão usados?
  • Quanto irá custar o projeto?

Em paralelo, fortaleça o marketing e o endomarketing da organização e embase ações e campanhas na sua proposta de valor. Tudo isso é necessário para um plano de crescimento empresarial!

6.  Defina os indicadores-chave de desempenho

Os KPIs ou indicadores-chave de desempenho são fundamentais para que o crescimento e/ou expansão de um negócio aconteçam dentro do planejado. 

Eles funcionam para medir a evolução dos processos implementados na empresa e se aplicam a estratégias financeiras e comerciais ou de marketing, entre outras.

Entre os principais KPIs de indicadores financeiros usados por gestores ao redor do mundo, defina aqueles essenciais para mensurações dentro da sua empresa e coloque-os em uso.

Se precisar, conte com a ajuda de especialistas no assunto para compreender como monitorar esses indicadores financeiros, além de contar com a ajuda de profissionais de outras áreas que possam ajudar você a extrair alguns insights relevantes.

7.  Faça reavaliações constantes

Monitore e revise objetivos, metas e os próprios indicadores para saber se tudo está correndo dentro das estratégias inicialmente previstas e colocadas. 

Atualize o que for preciso sempre que a sua empresa ou o mercado apresentarem mudanças e revise o plano de crescimento periodicamente para não ter nenhuma surpresa negativa.

Dica extra: aceite que o tempo e a paciência são melhores amigos de um gestor

Compreenda que as coisas talvez aconteçam em prazos mais longos do que o imaginado e prepare-se para o que der e vier prevendo cenários diferentes - otimistas, realistas e pessimistas - para o mesmo plano de crescimento ou expansão.

Além disso, automatize o que for possível em termos operacionais para desburocratizar e facilitar o cotidiano da sua empresa. Soluções digitais ajudam a tornar as metas ainda mais possíveis e alcançáveis!

Se quanto mais inovação e transformação digital envolvidas no crescimento, melhor, por que não agilizar tudo com ferramentas e tecnologias adequadas às necessidades dos negócios?

Pesquise por soluções que vão ajudar com cobranças e recebimentos, controle das vendas e emissão de Notas Fiscais. Essa automatização dos processos pode dar aquele pontapé inicial no seu plano de crescimento!

O que você achou do post?

0 Respostas

Deixe seu comentário