Aprenda a calcular e administrar o capital de giro

Toda pessoa empreendedora deve conhecer o conceito de capital de giro, afinal, é esse o dinheiro que vai manter a empresa funcionando. Entenda o que é, sua importância e como calcular.

Capital de giro

O capital de giro é o dinheiro que toda empresa precisa para continuar funcionando. Não podemos falar em uma gestão financeira eficiente sem trazer esse conceito, que exige conhecimento dos recursos disponíveis, bem como das despesas e contas a pagar.

Vamos pensar na seguinte lógica: você comprou produtos do seu fornecedor, o fornecedor entregou o produto, você pagou o fornecedor, o produto foi para seu estoque, foi para sua prateleira, foi vendido para seu cliente, que pagou por ele, às vezes com prazo e, finalmente, o dinheiro entra no seu caixa.

Desde que o dinheiro saiu do seu caixa, até ele retornar, quem pagou as suas contas?

É isso que é o chamado capital de giro. É o dinheiro que continua fazendo o negócio girar, mesmo quando os valores que você tem a receber ainda não entraram. Você precisa desse montante financeiro que garanta pagar, por exemplo, o salário de funcionários, aluguel e energia.

E apenas com controle da gestão financeira em dia é que você conseguirá calcular o seu capital de giro.

Necessidade de capital de giro

Fica evidente, portanto, a importância do capital de giro para qualquer negócio. Afinal, é ele que vai oferecer recursos de financiamento aos clientes - no caso das vendas à prazo -, que vai manter seus estoques e garantir o pagamento dos fornecedores, as compras que você precisa fazer de mercadorias de revenda ou matérias-primas.

Sem falar dos impostos, salários e demais gastos, ou seja, custos e despesas operacionais.

Mas você só vai conseguir balancear todos esses números se tiver um planejamento financeiro, com controle de gastos a curto e longo prazo e com as datas das futuras entradas de dinheiro, quando devem acontecer.

Sabendo disso, você pode calcular o seu capital de giro e se prevenir para não ser pego de surpresa no setor financeiro.

Como calcular capital de giro

O capital de giro nada mais é do que a diferença entre o dinheiro que você tem disponível no caixa e a soma das contas a pagar e das despesas.

Você encontra esse valor fazendo três cálculos simples.

Calcular capital giro

Pronto: este deve ser o seu capital de giro, o valor que você precisa ter por um certo tempo para fazer o seu negócio funcionar.

Cuide muito bem desse valor. Se precisar usá-lo para alguma despesa, nunca deixe de repor a mesma quantia retirada quando entrar dinheiro em caixa. Esse é um valor que dá segurança para o negócio, mas só funciona quando bem administrado.

Administração do capital de giro

Esteja sempre por dentro do seu fluxo de caixa para manter as finanças em dia. Um dos motivos que mais leva empresas a fecharem as portas é a má-administração do capital de giro.

Descubra que tipo de custos você pode cortar caso as contas não estejam fechando, para manter tudo em ordem.

Também saiba negociar com seus fornecedores, com formas de pagamentos confortáveis para você, garantindo um bom prazo. Se for pagar à vista, negocie descontos e inclua tudo isso no seu planejamento de capital de giro.

Já com os clientes, tente diminuir os prazos de financiamento. A gente sabe que não é tão simples, afinal você mesmo busca prazos maiores com os fornecedores, e a concorrência pode oferecer condições melhores do que você, caso decida não folgar os prazos. Entretanto, tentar não custa nada, não é?

Ebook conquistando a inadimplência zero

eBook enviado com sucesso!

Acesse seu e-mail para ler o eBook e fazer seus clientes pagarem em dia.

Se precisar ter mais dinheiro em caixa, você pode buscar bancos para solicitar antecipação de recebíveis, ou seja, receber deles valores que só teria no futuro. Se fizer isso, apenas tenha muita atenção às taxas de juros cobradas e pesquise bem antes quem pratica valores menores e mais justos. Só escolha essa opção se realmente valer a pena para a sua empresa.

Já se você possui dívidas, um empréstimo é a melhor saída. Aqui, a mesma coisa: só solicite um empréstimo se tiver condições de pagá-lo adiante. Do contrário, o empréstimo pode virar uma bola de neve e piorar a sua vida financeira.

Também é importante não tornar essas alternativas, de antecipar recebimentos e realizar empréstimos, um hábito. Consiga perceber o que precisa ser consertado na compra e na venda para que seu capital de giro atue no azul, sem precisar de ajuda externa.

Essa ajuda estará sempre disponível, você pode contar com ela, mas recorrer a instituições financeiras constantemente não pode fazer parte do seu planejamento financeiro.

Ciclo financeiro e capital de giro

Também é importante lembrar que o capital de giro está diretamente relacionado ao seu ciclo financeiro, que é o período completo que citamos lá no início deste artigo, desde que o dinheiro sai do seu caixa até quando ele retorna.

O cálculo base para entender o ciclo financeiro é:

Prazo Médio de Renovação do Estoque (PMRE) + Prazo Médio de Recebimento das Vendas
(PMRV) – Prazo Médio de Pagamentos (PMP)

Sendo assim, para diminuir a sua necessidade de capital de giro, é preciso encurtar o seu ciclo financeiro.

Uma ótima forma de fazer isso é reduzindo o seu prazo de recebimento, como já comentamos, mas também otimizando o estoque. Ou seja, não tendo mais estoque do que o necessário só para aproveitar os descontos dos fornecedores e alinhando todas as equipes a essa meta.

O comercial precisa conhecer o prazo médio de recebimento de vendas, a produção e marketing precisam saber o prazo médio de renovação de estoque e o time de compras precisa conhecer o prazo médio de pagamentos.

Também monitore o caixa diariamente, não apenas na reunião mensal de resultados.

Por fim, quando parecer muita coisa para prestar atenção, lembre-se que a sua empresa depende disso. Este artigo foi útil para você? Compartilhe!

O que você achou do post?

0 Respostas

Deixe seu comentário