Como fazer o cálculo da formação de preço?

Aprenda a colocar o preço adequado no produto ou serviço que você comercializa, fazendo a formação de preço correta!

Formação de preço

Cobrar pelo nosso trabalho, colocar preço no nosso produto ou serviço pode ser uma tarefa complicada. Afinal de contas, é preciso considerar diversos fatores na hora de calcular a margem de lucro, certo? A formação de preço é uma tarefa que deve ser feita com seriedade, responsabilidade comercial e até social.

A decisão pelo seu preço final deve ser tomada com base em dados reais, ou seja, não deve ser simplesmente uma decisão arbitrária.

Por isso, neste artigo, você aprende como colocar preço no seu produto ou serviço, para que seja possível proporcionar um equilíbrio entre as expectativas da sua clientela e a necessidade de lucro por parte da sua empresa.

Qual é a importância da formação de preços para os negócios?

A prática da formação de preço, quando feita da maneira correta, possibilita que você atenda às expectativas de seus consumidores e coloque o seu produto ou serviço em um patamar competitivo.

Tendo em mãos o preço de venda ideal para determinado produto ou serviço, a empresa consegue ter uma visão ampla do negócio, além de visualizar estrategicamente suas próximas jogadas.

O preço final de venda faz com que a empresa tenha noção dos custos necessários para fabricar o produto ou prestar o serviço. Sabendo disso, a empresa pode identificar oportunidades para expandir as vendas, além de reduzir gastos desnecessários.

Além disso, saber cobrar um valor adequado permite que você forme um valor de referência para oferecer descontos e, consequentemente, reter e atrair novos clientes sem que o negócio saia no prejuízo.

Afinal, se um negócio faz a formação de preço inadequadamente, a empresa pode gerar prejuízos, já que a venda destes produtos ou serviços pode não cobrir os custos de produção ou não vender o suficiente, pois o preço praticado afasta possíveis consumidores.

Como fazer a formação do preço de venda?

Ebook conquistando a inadimplência zero

eBook enviado com sucesso!

Acesse seu e-mail para ler o eBook e fazer seus clientes pagarem em dia.

Considere os fatores que influenciam no preço final do produto

Para chegar a uma precificação justa, tanto para você quanto para o consumidor, será preciso colocar no papel os custos e despesas envolvidos na fabricação do produto ou prestação do serviço em questão.

Os custos são aqueles relacionados à operação, compra de matéria-prima e pagamento dos fornecedores. As despesas são os gastos referentes à estrutura e ao administrativo.

De modo geral, os custos e as despesas são categorizados como:

  • gastos fixos (despesas): aluguel, luz, água, telefone, segurança, equipamentos, limpeza, salários; e
  • gastos variáveis (custos): matéria-prima, tarifas de cartão de crédito, frete, impostos, comissão de vendedores.

Todos estes fatores influenciam na hora de formar o preço de venda de um produto/serviço, caso eles não sejam considerados, a empresa pode ter prejuízo, ao invés de lucro.

Anotou todos os seus gastos fixos e variáveis aí? Ok, agora podemos seguir para o passo de número 2.

Decida qual a rentabilidade que deseja obter com cada produto

Depois de fazer o levantamento das despesas e custos envolvidos para a produção e fornecimento da mercadoria, chegou a hora de aplicar a margem de lucro que o seu negócio espera obter com a venda.

Vale esclarecer que não existe uma margem de lucro padrão. No entanto, ela deve cobrir suas despesas e custos e, ainda, retornar uma porcentagem à empresa.

Embora ter lucro seja crucial, ser cauteloso no momento de aplicar uma taxa de rentabilidade é indispensável. Isso porque o valor de venda deve ser atraente aos olhos de seus clientes, bem como apropriado em relação à concorrência.

Aplique uma fórmula de cálculo que considere os pontos apresentados

Depois de ponderar os pontos mencionados, chegou o momento de incluir a matemática nessa conversa. Para precificar de modo que sua empresa lucre e haja procura de mercado, você pode contar com três tipos de cálculo.

1º.  Cálculo: margem de contribuição

O cálculo da margem de contribuição é o método de formação de preço de venda mais utilizado. Este cálculo permite que todos os pontos que devem ser considerados no momento de colocar preço sejam contemplados e façam parte dessa matemática.

O cálculo será o seguinte:

Valor de venda - Custos e despesas = Margem de contribuição

Para ter em mãos o valor em porcentagem aplique a fórmula a seguir:

(Valor de venda - Custos e despesas) ÷ Valor de venda = Margem de contribuição

2º.  Cálculo: fórmula com base no lucro

O segundo cálculo pode ser feito com base no percentual de lucro que se deseja obter com a venda do produto ou serviço. Veja:

Custo inicial + Percentual das despesas fixas + Percentual do lucro esperado = Preço de venda

3º.  Cálculo: pesquisa de preço

O terceiro cálculo, na verdade, não é uma conta, mas sim uma visão mais ampla de mercado. Em outras palavras, para chegar a uma precificação específica para cada produto, faz-se uma pesquisa de mercado, considerando os preços praticados pelas empresas concorrentes.

Nesse tipo de formação de preço, define-se as empresas concorrentes e faz-se um levantamento dos preços de cada produto e serviço. Assim, o preço final da sua mercadoria pode ser estipulado pela média dos preços praticados pelo seu mercado de atuação.

Nessa análise também é possível perceber quais são os gargalos financeiros envolvidos na sua produção, afinal, você consegue mensurar se seus gastos estão mais altos do que deveriam e onde há brechas para reduzi-los e lucrar ainda mais.

Agora que você aprendeu como fazer a formação de preço de venda corretamente e entendeu a importância de fazê-lo para evitar prejuízos, não deixe de escolher um dos cálculos mencionados e aplicá-lo da próxima vez que você for atualizar os preços praticados pelo seu negócio, ok?

O que você achou do post?

0 Respostas

Deixe seu comentário