Lei da oferta e da procura: entenda como funciona

Na Economia, a lei da oferta e da procura é o que determina a formação de preços no mercado. Vamos entender como surgiu e como funciona?

Lei da oferta e da procura

Na chamada lei da oferta e da procura, os consumidores procuram no mercado os produtos e serviços que desejam e necessitam, enquanto as empresas existentes ofertam esses mesmos produtos.

O conceito considera que, quanto menor for o preço, mais os consumidores procuram, enquanto as empresas ofertam produtos com o preço relativo à quantidade, ou seja, quanto maior a quantidade, maior o preço.

Existe um equilíbrio entre a oferta e a procura, o que origina um preço de equilíbrio no mercado.

Quem criou a lei da oferta e da procura foi Adam Smith, filósofo e economista britânico que nasceu na Escócia em 1723. Considerado o pai da economia moderna e do liberalismo, suas teorias são respeitadas e aceitas por muitos economistas até hoje. Por isso ainda podemos e devemos entender como essa lei funciona.

Como funciona a lei da oferta e da procura

Retomando, vamos definir o que é procura e oferta.

Procura é o conceito que diz que quanto menor o preço, mais consumidores estarão procurando produtos que desejem e necessitem no mercado.Para isso, é preciso considerar os diferentes rendimentos de cada pessoa. Vamos pensar em um exemplo.

Imagine que três consumidores diferentes procuram um certo produto em uma loja. A mercadoria é a mesma, mas cada um deles quer pagar um preço diferente pelo produto. Os valores são R$ 20, R$ 25 e R$ 30.

Logo, os consumidores podem comprar o produto pelo menor preço, R$ 20, já que dois compradores podem pagar até mais por ele, R$ 25 e R$ 30. Por isso, quanto menor o preço, mais o produto será vendido, já que mais consumidores poderão comprá-lo.

Oferta é o preço pelo qual os produtos são vendidos pelas empresas. Vamos logo para um exemplo: pense que um lojista oferta seu produto pelo preço de R$ 4. Isso significa que dois itens desse mesmo produto vão ter o preço agregado de R$ 8, três vão valer R$ 12 e assim por diante.

A teoria da oferta se baseia na ideia de que o lojista precisa lucrar com as suas vendas. Logo, o valor sempre cresce, caso contrário, perderia dinheiro.

Ebook conquistando a inadimplência zero

eBook enviado com sucesso!

Acesse seu e-mail para ler o eBook e fazer seus clientes pagarem em dia.

Esses dois conceitos, procura e oferta, precisam estar em equilíbrio. A lei entra em desequilíbrio quando a quantidade procurada e oferecida não são as mesmas. Uma forma para enxergar isso mais claramente é pensar em um produto. Vamos pensar nos televisores 4K.

No início, o preço desse produto no mercado era muito alto. Porém, com o passar dos anos, os fabricantes começaram a baixar os preços e, por isso, o número de consumidores cresceu. Hoje já não é mais incomum ou "coisa de rico" alguém ter um televisor 4K dentro de casa. Várias pessoas podem comprá-lo.

Podemos olhar para a lei da oferta e da procura sem levar em consideração outros fatores. Essa é uma condição chamada Ceteris Paribus. Quando pensamos nessa lei da forma mais simples que é como foi abordada até aqui.

Mas é importante saber que alguns fatores podem mudar a lei da oferta e da procura, como os impostos, que tornam os preços ofertados mais altos do que o lojista gostaria, ou o aumento do rendimento dos consumidores, que pode fazê-los comprar produtos que não comprariam antes, por terem aumentado o poder aquisitivo.

Veja também:
Preço de venda: quanto cobrar e como calcular?
Como montar um orçamento de vendas eficiente
Margem de contribuição: entenda do conceito ao cálculo

Exemplo sobre a lei da oferta e da procura

Vamos pensar mais um pouco em um exemplo prático, reforçando os conceitos de oferta e procura.

Pensando que, quando a demanda aumenta, o preço aumenta, e quando a demanda diminui, o preço também diminui, suponha que é um dia quente e muitas pessoas querem, portanto, comprar um sorvete. Temos muita procura.

Por essa razão, a demanda por sorvete aumenta. É por isso que o sorveteiro vai vender o sorvete por um preço mais alto do que o preço do inverno ou de um dia mais frio.

Agora também pense que, quando a oferta aumenta, o preço diminui e, quando a oferta diminui, o preço aumenta. Ainda pensando no sorvete. Se vários sorveteiros oferecem sorvete, o preço vai ter que reduzir, para que todos possam vender.

Entretanto, se apenas um sorveteiro vender sorvete nessa cidade quente, o preço a pagar pelo sorvete é alto, porque todos estão dispostos a pagar um preço maior para aliviar o calor, comprando do único local que oferta o produto desejado.

Assim, podemos concluir que compradores e vendedores se ajustam ao preço de um bem ou serviço e as vendas ocorrem pelo valor apropriado a cada caso.

É por isso que os preços influenciam as decisões de consumidores e produtores no mercado. Preços baixos incentivam o consumo, mas inibem a produção, enquanto preços altos reduzem o consumo e estimulam a produção.

O que você achou do post?

0 Respostas

Deixe seu comentário