Fluxo de caixa projetado: o que é e como montar

Descubra tudo o que você precisa saber sobre fluxo de caixa projetado: o que é, para que serve, como montar e por que analisá-lo de tempos em tempos. Aproveite para entender melhor a diferença entre fluxo de caixa projetado, realizado e outros tipos de fluxo de caixa.

Fluxo de caixa projetado

Como o próprio nome já diz, o fluxo de caixa projetado é feito para que gestores de empresas consigam fazer planos a curto, médio e talvez até a longo prazo, com base nos possíveis resultados que seus negócios vão obter.

Para projetar um fluxo de caixa, esses gestores devem fazer uma avaliação cautelosa das contas a pagar e receber dos seus empreendimentos no momento presente. Depois, precisam tirar uma média de quanto dinheiro deve entrar e sair de caixa nos próximos meses e, a partir do resultado, planejar o futuro dos negócios.

Veja mais detalhes no texto adiante.

O que é um fluxo de caixa projetado?

É uma estimativa das entradas e saídas de dinheiro do caixa da empresa durante determinado período, feita por empreendedores que querem conhecer melhor os seus negócios, prever iniciativas futuras ou avaliar algum tipo de problema em relação a valores ou datas de suas contas recebidas ou pagas.

A alternativa, construída com base nos registros diários, é recomendada para quem precisa organizar melhor o empreendimento em âmbito financeiro, negociar mais adequadamente com fornecedores e corrigir ou melhorar o pagamento de colaboradores, não apenas em quantidade, mas também em prazos, por exemplo.

Também é bastante adotada por empreendedores que precisam fazer mudanças na administração dos negócios, por aqueles que buscam reduzir ou eliminar perdas financeiras ou fazer empréstimos e pelos que planejam crescimento empresarial, entre outros.

E-book conquistando a inadimplência zero

E-book enviado com sucesso!

Acesse seu e-mail para ler o e-book e fazer seus clientes pagarem em dia.

Quais são as vantagens do fluxo de caixa projetado

Está em dúvida sobre fazer ou não a projeção do fluxo de caixa da sua empresa? Opte pelo sim, afinal, algum benefício importante sempre será extraído desse processo financeiro. Entre eles, estão:

  • a criação de uma reserva financeira;
  • a redução da quantidade de clientes inadimplentes;
  • a minimização ou eliminação de erros na gestão dos recursos da empresa;
  • as negociações mais adequadas com fornecedores ou credores; e
  • o planejamento de investimentos, inclusive em infraestrutura, para melhorar, desburocratizar e facilitar o trabalho dentro da própria organização.

Vale dizer que esse tipo de fluxo de caixa é apenas um dos vários tipos que existem e todos têm finalidades diferentes.

Quais são os outros tipos de fluxo de caixa?

Existem pelo menos outra meia dúzia de tipos de fluxo de caixa além do projetado e é fundamental que os empreendedores conheçam todos eles. Confira quais são.

1.  Fluxo de caixa direto

É usado para um controle de caixa diário feito dentro de um empreendimento. Ele apresenta quanto a empresa recebeu e pagou - em valor bruto - por todas as suas operações daquele dia em específico.

2.  Fluxo de caixa indireto

Definido a partir dos Demonstrativos de Resultados do Exercício (DRE) e de informações contábeis referentes aos negócios.

3.  Fluxo de caixa operacional

Basicamente, indica o faturamento da empresa e a variação de capital de giro: mostra quanto de dinheiro existe em caixa entre recebimento de receitas e pagamentos de despesas dentro de um período específico.

4.  Fluxo de caixa livre

Serve para medir quanto de capital a empresa pode gerar em determinado período e compara o saldo em caixa com o fluxo das operações a partir de relatórios que projetam resultados a curto prazo e a médio prazo. 

Não é usado para o controle diário das operações, mas para estudos de possíveis aplicações, estratégias financeiras em busca de melhora da saúde para o caixa da empresa e/ou de alternativas para o futuro dos negócios.

5.  Fluxo de caixa descontado

Utilizado especificamente para determinação do valor de um empreendimento quando existe a possibilidade de comprá-lo ou vendê-lo. Ajuda em avaliações e estimativas principalmente de ROI, o Retorno Sobre o Investimento.

6.  Fluxo de caixa realizado

Representa a situação real da empresa ao final de um período de trinta dias (mês).

Qual a diferença entre o fluxo de caixa projetado e o realizado?

Essa é uma dúvida bastante comum e a diferença está no período dos dados coletados: basicamente, o fluxo de caixa projetado é uma previsão, enquanto o fluxo de caixa realizado é uma análise do que já passou.

Enquanto o fluxo de caixa projetado usufrui de dados do passado e do presente para previsões futuras, o realizado trabalha com dados coletados dentro do período de um mês para auxiliar gestores na busca por conclusões sobre o que já foi feito e o que já aconteceu dentro da empresa.

O fluxo de caixa realizado contribui com análise de gastos anteriores, controle de giro de estoque e avaliação do comportamento financeiro. Enfim, também contribui com previsões e planos, mas de sua própria maneira.

Como montar um fluxo de caixa projetado?

São quatro as principais etapas que resumem bem como acontece a obtenção do fluxo de caixa projetado em uma empresa:

  1. Reunir todas as informações de pagamentos e recebimentos que já aconteceram na sua empresa dentro de determinado período até o momento atual e levantar o saldo disponível em caixa.
  2. Adicionar ao saldo disponível os valores que você ainda tem para receber, pensando em seus prazos de vencimento - se você tem valores a receber só daqui seis meses e quer projetar o fluxo de caixa para os próximos três, eles não devem entrar na conta, tudo bem?
  3. Analisar a viabilidade econômica da empresa e verificar em detalhes todas as despesas fixas e variáveis.
  4. Subtrair do total do saldo os valores das despesas fixas e variáveis com as quais você irá arcar também dentro do período em que deseja projetar o seu fluxo de caixa.

O que considerar na hora de montar um fluxo de caixa

Para facilitar, listamos a seguir todos os fatores que você vai precisar anotar e ponderar em uma planilha de fluxo de caixa para montar a projeção da sua empresa:

  • Despesas fixas e variáveis.
  • Saldo disponível em caixa (saldo inicial).
  • Prazos médios de pagamentos e recebimentos.
  • Entradas previstas - lançadas na projeção nos meses em que serão recebidas - e compensações bancárias.
  • Intervalo de tempo entre os seus recebimentos.
  • Planejamento de contas e estimativa das entradas e saídas futuras.
  • Descritivo das fontes de receita.
  • Controle de despesas dos negócios e Notas Fiscais de entradas e saídas já realizadas.

A partir do resultado, é possível saber quanto sobra disponível para outras iniciativas e ações a serem tomadas em prol da organização e finalmente então começar sua análise de fluxo de caixa projetado.

Antes de concluir a leitura do texto, veja um modelo de projeção de fluxo de caixa obtido manualmente com menos detalhes ou através de sistemas de gestão financeira empresarial com o máximo possível de informações, todas bastante precisas.

Exemplo de fluxo de caixa projetado

Exemplo fluxo de caixa projeto

O que você achou do post?

0 Respostas

Deixe seu comentário